Governo mantém restrição de circulação de pessoas por mais 15 dias

O horário de restrição de circulação de pessoas entre a 0h e as 6h será mantido por mais 15 dias, segundo o governo

Governo mantém restrição de circulação de pessoas por mais 15 dias
Foto: Diego Peres/Secom

O Governo do Amazonas vai manter o horário de restrição de circulação de pessoas entre a 0h e as 6h por mais 15 dias. O anúncio foi feito pelo governador Wilson Lima durante live pelas redes sociais nesta sexta-feira (16). Entre as mudanças, haverá alteração no horário de funcionamento dos supermercados, comércio de rua, shoppings e academias.

“São medidas importantes para o comércio, para vários segmentos das atividades econômicas, para garantir o emprego de muita gente. Mas não significa que nós estamos livres da pandemia, não significa que a gente pode relaxar, não significa que pode desprezar o uso da máscara ou qualquer outro item do protocolo sanitário”, ressaltou o governador.

Wilson Lima destacou que a população precisa continuar trabalhando para evitar o contágio, sobretudo com a possibilidade de uma terceira onda. “Temos um plano de contingência, e quanto mais a gente fizer o nosso esforço, menor será essa terceira onda, e a gente não pode colocar a perder o que já conquistamos até aqui”, disse Wilson Lima.

Os supermercados passarão a funcionar das 6h às 22h, com 50% da capacidade do estabelecimento, ficando o deslocamento limitado a um comprador por núcleo familiar, a fim de evitar aglomerações.

Já os shoppings poderão funcionar das 10h às 22h, de segunda-feira a sábado; aos domingos, podem ficar abertos das 11h às 17h. Os centros comerciais deverão observar a ocupação limitada a 50%, no interior do estabelecimento, e 70%, nos estacionamentos. As lojas em geral poderão funcionar das 8h às 19h, de segunda-feira a sábado, ficando fechadas aos domingos.

As aulas coletivas seguem proibidas nas academias, cujo funcionamento passará a ser de segunda à sábado, das 6h às 21h, com ocupação máxima de 50% da capacidade. Está permitida a prática de esporte coletivo ao ar livre e o kart profissional sem público. (Abaixo, outras atualizações).

Antes de definir as mudanças, o governador se reuniu com os membros do Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Covid-19 para debater os dados epidemiológicos e os indicadores da rede de assistência à saúde. As alterações foram apresentadas aos representantes dos poderes e dos órgãos de controle.

Indicadores epidemiológicos

Atualmente, o Amazonas, em comparação com os demais estados e o Distrito Federal, tem a quarta menor taxa de transmissão do país, com 0,92. O dado indica que cada 100 infectados, no intervalo de sete dias, poderão transmitir a doença para outras 92 pessoas. Segundo o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Cristiano Fernandes, a situação é de estabilidade. Essa taxa, quando está acima de 1, representa alta transmissão.

“Nós estamos com uma taxa de transmissão mais reduzida. No entanto, eu chamo a atenção dos senhores, que nós não estamos livres da doença ainda. Nós temos bastantes casos, o vírus está circulando, e só por meio das medidas de prevenção a gente vai conseguir vencer mais essa etapa, mais esse desafio”, disse Cristiano.

Nos últimos 14 dias, a média móvel de casos de Covid-19 caiu 20% no estado. Considerando apenas o interior, a queda foi de 30%, e, na capital, a redução foi de 5%. Já a média móvel de mortes pela doença no período caiu 11% no Amazonas.

“Então mostra que, realmente, estamos com redução de óbito que esperávamos quando a gente evita novos casos e, consequentemente, casos graves e o desfecho no óbito. Ainda é uma preocupação que nós temos em decorrência de se registrar cerca de 17 óbitos diariamente aqui no nosso estado”, disse o diretor-presidente da FVS.

Números da assistência

Segundo o secretário de Saúde do Amazonas (SES-AM), Marcellus Campêlo, é predominante o números de chamadas no Sistema de Transferências Reguladas (Sister) para outras doenças. Dos 112 chamados desta quinta-feira (15), 81 eram para pacientes com outras enfermidades diferentes da Covid-19.

Há um equilíbrio em relação às remoções aéreas. Segundo Marcellus, nesta quinta-feira, 16 remoções deste tipo foram para pacientes diagnosticados com covid-19. Outras 12 remoções foram para pacientes com outras doenças.

A taxa de ocupação de leitos clínicos registrada foi igual a 37% nesta quinta-feira, e a ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) foi igual a 75%.

À medida que a necessidade por leitos de UTI reduziu, eles foram convertidos para leitos não covid, com o objetivo de atender pacientes com outras doenças.

Se tivessem sido mantidos exclusivamente para a doença, a taxa de ocupação seria de 53,8%. No último ano, o número de leitos de UTI aumentou mais de 277% com a abertura de novas unidades pelo Governo do Amazonas.

“O que tem pressionado muito a rede são causas externas. Nós temos os grandes prontos-socorros de Manaus, Platão, João Lúcio e 28 de Agosto, muito pressionados principalmente por acidente de trânsito e traumas de ortopedia”, disse Marcellus Campêlo.

Hoje, o consumo de oxigênio medicinal na rede de saúde está entre 18 mil e 19 mil metros cúbicos por dia. Segundo Marcellus, está abaixo do consumo registrado antes do início da segunda onda, no começo deste ano. A rede conta, atualmente, com 38 usinas de oxigênio em operação instaladas na capital e interior que, juntas, produzem 16 mil metros cúbicos de produção diária.

CONFIRA AS ALTERAÇÕES NO DECRETO

A restrição segue da 0h às 6h, e o decreto tem validade de 15 dias, a partir da segunda-feira (19).

Comércio

Permitido o funcionamento de supermercados de pequeno, médio e grande porte; atacadistas; pequenos varejos alimentícios; e padarias, que poderão funcionar das 6h às 22h, com 50% da capacidade do estabelecimento, ficando o deslocamento limitado a um comprador por núcleo familiar a fim de evitar aglomerações em suas dependências.

As lojas em geral poderão funcionar das 8h às 19h, de segunda-feira a sábado, ficando fechadas aos domingos.

Serviços

Postos de combustíveis podem funcionar no período das 6h às 22h.

Lan houses podem funcionar das 8h às 17h, com 50% de capacidade de ocupação, exceto para jogos.

Shopping Centers

Poderão funcionar das 10h às 22h, de segunda-feira a sábado; e das 11h às 17h, aos domingos, devendo observar a ocupação limitada a 50%, no interior do estabelecimento, e 70%, nos estacionamentos.

Instituições de ensino

Fica facultado o funcionamento dos cursos técnicos, desde que não excedam 50% da ocupação das salas.

Salões de beleza, barbearias e similares

Para aqueles NÃO localizados em shopping centers, funcionamento permitido das 8h às 20h, de segunda-feira a sábado; e com ocupação máxima de 50%.

Academias e esportes de todas as modalidades

Permitido o funcionamento nas seguintes condições:

  1. a) somente aulas individuais, não sendo permitidas aulas coletivas;
  2. b) funcionamento de segunda à sábado, das 6h às 21h;
  3. c) ocupação máxima de 50% da capacidade.
  4. d) permitida a prática de esporte coletivo ao ar livre e kart profissional sem público.

Feiras e mercados públicos

As feiras da ADS e feiras dos produtores poderão funcionar das 15h às 20h.

Demais atividades

Permitidas as atividades de visitação  para contemplação de atrativos naturais, por via fluvial e/ou terrestre, respeitando os protocolos de prevenção definidos pelos especialistas em saúde, desde que as áreas estejam liberadas pelo Órgão Gestor Ambiental das Unidades de Conservação (UCs) do Estado do Amazonas, sendo vedado o contato com comunidades tradicionais ribeirinhas e o desembarque de turistas nestes locais.