TCU abre investigações para apurar denúncias de funcionárias da Caixa

Segundo a representação o assédio cometido em administração pública gera ‘’percepção na sociedade’’.

Foto: Divulgação

Após diversas denúncias de assédio sexual e moral contra o ex-presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu abrir uma investigação a pedido do Ministério Público de Contas.

O pedido foi feito pelo subprocurador Lucas Rocha Furtado. Segundo a representação, “quando praticado no âmbito da administração pública, o assédio gera a percepção, na sociedade, de que as instituições estatais não se pautam em valores morais nem são conduzidas segundo elevados padrões de conduta”.

No processo que abre a apuração, o TCU escreve que vai apurar se “o sr. Pedro Guimarães, no exercício da presidência da Caixa Econômica Federal, cometeu assédio sexual e moral contra empregadas e empregados daquela instituição financeira pública, o que, além de caracterizar prática criminosa, configura flagrante violação ao princípio administrativo da moralidade”.

Denúncias

Os relatos de abusos sexuais e morais tiveram início na semana passada quando funcionárias na Caixa Econômica Federal denunciaram o ex-presidente. Algumas das mulheres contaram que Pedro tinha atitudes inapropriadas, situações desconfortáveis e até toques em partes íntimas durante abraços longos.

Agora novas acusações revelam que ex-vice da instituição, Celso Leonardo Derzie de Jesus Barbosa, acobertava os abusos e vigiava as mulheres que recusavam o assédio de Pedro Guimarães.

Foto: Divulgação

Segundo uma das funcionárias, as mulheres que não cediam ao assédio ficavam ‘’marcadas’’. Ele fingia acolher as funcionárias, mas com o intuito de monitorar um possível vazamento da história.

Renúncia de cargos

Após a série de denúncias que vieram à tona na última semana, Pedro Guimarães pediu demissão do cargo de presidente da Caixa. Em seguida o vice-presidente da área de Negócios no Atacado da Caixa, Celso Leonardo, também renunciou o cargo.

Barbosa, que nega as acusações. Ele também é alvo de denúncia por abuso sexual apresentada na ouvidoria da Caixa.

(*) Com informações da Agência Brasil de Notícias